Investir-em-Franquias-—-Conceitos-e-comparacao-com-outros-investimentos

Como Investir em Franquias? Veja essa comparação com outros investimentos

[rtoc_mokuji title=”” title_display=”” heading=”” list_h2_type=”” list_h3_type=”” display=”” frame_design=”” animation=””]

Quando pensamos em franchising ou em como investir em franquias, automaticamente nos vem à cabeça o nome de grandes marcas que fazem sucesso trabalhando nesse formato. Aquela loja que você frequenta no shopping ou aquele quiosque famoso que vende seu perfume favorito. Entretanto, o conceito de franquia vai além disso e abrange diversas áreas e formatos. Mas antes de avançarmos, é necessário entender o que é franquia e qual o seu significado.

O que é franquia?

Segundo o dicionário online, o termo franquia significa: “Contrato em que o titular de uma marca registrada, patente ou registro de propriedade industrial concede a outrem licença para a utilização de sua marca, bem como de seu processo de produção, produtos ou sistema de negócios, mediante o cumprimento de determinadas condições.”

Ou seja, nada mais é do que uma estratégia de comércio para ampliar e utilizar alguma marca, patente e infraestrutura. A franquia também permite que a marca seja replicada em diversas localidades, não ficando presa apenas ao espaço em que foi criada.

Para a implementação deste formato é necessário que o franqueador ofereça ao franqueado por meio de contrato, mediante a um pagamento prévio, a autorização de uso de sua marca ou patente para que seja reproduzido igual ao modelo original.

É com essa autorização que o franqueado pode se utilizar de uma marca já consolidada no mercado para se beneficiar e ter seu negócio.

 

Atente-se às leis antes de investir em franquias

Entretanto, tenha cuidado para não confundir franquia e licenciamento de marcas: há diferenças entre elas. A franquia é regida pela Lei nº 13.966/2019 e inclui um contrato complexo que trata desde a transferência de know-how até uma lista de obrigações que ambas as partes devem cumprir para não ferir a lei.

Outro ponto importante é que a maneira que cada contrato irá se apresentar é diferente. O de licenciamento, por exemplo, é obrigatório que seja averbado no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), já o de franquias a averbação é opcional para quem deseja replicar a marca em solo nacional.

 

Como surgiram as franquias?

Durante a história diversos modelos foram sendo implementados. Entretanto, o modelo mais parecido com esse que nós conhecemos, foi criado por volta de 1860, quando a empresa de máquinas de costura, Singer, decidiu ampliar seus negócios. A ideia era expandir a marca e comercializá-la por todo os Estados Unidos.

Com os representantes devidamente aptos a vender o produto, a marca se espalhou por todo território americano e ficou amplamente conhecida, não só no país, mas no mundo. Esse modelo implementado pela Singer chamou a atenção de outras marcas, que passaram a replicar, fazendo com que as franquias, como conhecemos hoje, ficassem conhecidas e se tornassem um dos grandes modelos de negócios.

Já no Brasil, em 1910 era possível encontrar um modelo de negócio bastante parecido com as franquias que conhecemos nos dias atuais. Era o caso dos calçados Stella, em que o empresário Arthur de Almeida Sampaio, contratou representantes para expandir sua marca em outros pontos do país.

No estilo de franquia ao qual estamos acostumados, começou-se a falar apenas depois dos anos 1980. A escola de inglês Yázigi foi a pioneira, seguida por outras grandes marcas que ainda estão em atuação, como por exemplo, a loja de cosméticos e perfumes O Boticário.

Em 1987 foi constituída a Associação Brasileira de Franchising (ABF), que regulamentou o negócio no país e ajudou a impulsionar o modelo em todo o território nacional.

 

Abrir um negócio próprio ou investir em franquias?

Essa é uma questão bastante comum para quem está buscando investir em um negócio. As duas opções apresentam pontos positivos e negativos, portanto, é necessário colocar na balança e avaliar qual das ideias se alinha mais com o seu propósito.

Abrir um negócio próprio do zero não é fácil. Além dos riscos que o empreendedor corre, ainda é necessário definir diversos pontos e consolidar a marca no mercado.

O próprio empreendedor deverá criar estratégias de marketing, elaborar um manual de treinamento para seus funcionários, pensar em como fidelizar seu público, além de ter que lidar com diversos outros fatores que dificultam a vida do empresário.

Entretanto, há o lado positivo: o da liberdade. Um negócio próprio é livre para mudanças e adaptações necessárias sempre que for preciso. O empresário pode escolher para quem vender, como adotar tais medidas e estratégias e também escolherá sua marca de acordo com seu gosto pessoal.

Caso o empreendedor opte pela franquia, estará contratando o know-how¹ da marca, ou seja, marca, marketing, manual de treinamentos, dentre outros pontos que virão prontos para uso, bastando apenas colocá-los em prática.

Além disso, uma marca já consolidada, tem fidelização de clientes e tem seu modelo de negócio aprovado. Por isso a chance de a empresa dar certo é maior, ainda que tenha um pequeno risco.

¹ Know-how: O termo refere-se ao conjunto de habilidades técnicas, conhecimentos, práticas, tecnologias e processos organizacionais que permitem o desenvolvimento de produtos/serviços, além de uma melhor gestão do negócio e um diferencial competitivo.

Só existe uma forma de investir em franquias?

Existe mais de uma maneira de investir em franquias, sendo possível escolher qual o modelo que mais se adapta às suas demandas. O franqueado poderá escolher de acordo com o que e onde deseja empreender, com suas estratégias pessoais e financeiras e também quais responsabilidades deseja ter.

Uma marca de comida, por exemplo, demanda mais cuidado e responsabilidade do que uma de perfume, afinal está atuando com a alimentação e, consequentemente, com a saúde das pessoas, no entanto, franquias de comida são mais estáveis em tempos de crise.

Conheça os modelos de investimento em franquias:

Unitária: Esse estilo de negócio autoriza a abertura de apenas uma unidade da franquia, com exclusividade de atuação em determinada localidade. Isso é, o franqueador determinará o local e somente você poderá trabalhar com essa franquia no local. Um exemplo são os quiosques ou lojas de shoppings.

Múltiplas: Diferente da unitária, nesse caso, o franqueado pode abrir quantas franquias desejar do mesmo empreendimento. Claro, que tudo dependerá de sua capacidade financeira e de gestão, mas em tese é possível a abertura de diversos pontos de negócio. Em alguns casos, o franqueador exige que o franqueado cumpra um determinado prazo para abrir as unidades.

Master: As franquias master normalmente são abertas por um subfranqueador, ou seja, o responsável por elas poderá comandar uma ou mais franquias em uma única área. Além disso, o subfranqueador pode ceder os direitos de operação de uma das unidades a outros franqueados. Por esse trâmite, ele terá direito a taxas de franquias, royalties e também será o responsável pela assinatura do contrato junto ao franqueado.

De desenvolvimento de área: Essa é uma técnica para que a franquia passe a ocupar determinada área. Normalmente acontece em um local em que ainda não seja conhecida a franquia, e o franqueado fica com a missão de abrir uma ou mais unidades para expandir os negócios.

O franqueado também poderá atuar na venda de outras unidades, para ampliar ainda mais o nome da franquia na região. Ele terá direito às taxas e royalties, mas os contratos seguirão sendo assinados pela própria franqueadora.

Internacional: Esse tipo de franquia é quando a marca decide expandir seus horizontes e desembarcar em outros países. Normalmente pode atuar como qualquer uma das citadas acima, mas com o diferencial de estar em um país novo. No caso, o franqueado pode levar a marca para outro território ou trazê-la até o Brasil.

 

Vantagens e desafios para investir em franquias

Como todo negócio, as franquias também possuem vantagens e desafios tanto para franqueador quanto para o franqueado.

Ao investir em franquias, o empreendedor também está realizando seu sonho de ter um negócio próprio. E será mais fácil atrair clientes de diversas localidades e fidelizá-los, fazendo com que a marca (que passa a ‘pertencê-lo’ também) seja amplamente conhecida, o que o beneficia ainda mais se decidir investir em franquias como um multifranqueado.

Além disso, como franqueado, tem a oportunidade de ser parceiro de uma marca, cujos possíveis erros e acertos já foram superados, evitando assim as dificuldades de um empreendedor iniciante.

Entretanto, há também os desafios que precisam ser superados para o sucesso da franquia. Um deles é a relação entre franqueado e franqueador que muitas vezes pode gerar problemas. Outro é o zelo pela marca, para que ela seja sempre bem vista pelos clientes. É preciso ter cuidado para manter o padrão imposto e replicá-lo da melhor maneira possível.

Além disso, uma empresa franqueadora, muitas vezes, acaba perdendo o sigilo empresarial, visto que muitas informações consideradas sigilosas precisam ser passadas aos envolvidos nas negociações, especialmente aos franqueados.

Veja mais vantagens para o franqueador e franqueado

Para o franqueador:

– Expansão da marca sem grande investimento, visto que a marca será ampliada por terceiros, que deverão pagar para poder utilizá-la. O dono da marca não precisará investir para abrir novas lojas, por exemplo.
– Visibilidade da marca e fidelização de clientes, devido a propagação do negócio por terceiros em diversos locais.
– Tempo livre para pensar em outros pontos importantes da marca, como por exemplo, o marketing e projetos de divulgação. Além de focar na venda e ampliação de franquias da sua marca.
– Cada franqueado será o responsável pelos funcionários e finanças de cada unidade.

Para o franqueado:

– Menos chances para errar, já que o modelo já está consolidado no mercado. Possíveis falhas e problemas já foram superados.
– Economia na compra de produtos, uma vez que os materiais utilizados serão comprados em grande escala, não só para a sua franquia, mas também para as demais da rede. Com isso, fornecedores tendem a dar descontos pelo grande volume de compras.
– Apoio por parte do franqueador, além do know-how já produzido, evitando perder tempo na criação de um próprio.

 

Internacionalização

Expandir é o que todo franqueador deseja ao disponibilizar sua marca para empreendedores que desejam investir em franquias. Seja nacional ou internacionalmente, sendo a segunda ainda mais desafiadora e que demanda mais atenção.

Se abrir uma franquia em território nacional demanda atenção e cuidados, imagine em outro país.

São vários os motivos que levam à internacionalização da marca, entretanto, é necessário dois principais cuidados são:

  • Expansão dos negócios;
  • E precaução para que a marca não seja copiada lá fora.

Mas para que isso aconteça é necessário um grande estudo prévio a fim de conhecer o local onde será implantada a franquia. É necessário conhecer o mercado, a cultura, e os hábitos da população local, afinal, não adianta abrir uma franquia internacional se não tiver clientes.

É preciso um planejamento estratégico para que a franquia internacional saia do papel. Isso demanda tempo e muita dedicação.

A ABF, em parceria com a Agência de Promoção das Exportações (Apex, acessar site) criou, em 2004, um projeto para exportação de franquias brasileiras. Esse projeto impulsionou a presença de marcas brasileiras em outros países. Se no ano 2000 era possível encontrar 15 marcas, hoje já encontramos mais de 100.

 

Tendências

O modelo de investimento em franquias é algo em expansão no Brasil e no mundo, há mais de dez anos que o setor está acima do PIB e a tendência é que continue em crescimento. Além disso, há diversas outras tendências que vêm acompanhando esse modelo de negócio e que se mostram positivas para quem quer investir.

Antigamente para ser um franqueado era necessário ter dinheiro, entretanto com os avanços desse modelo de negócio, ficou mais fácil para que a população das classes C e D passassem de consumidores para empreendedores.

A abertura de microfranquias, como os quiosques de shoppings, é um exemplo de investimento em franquias que atrai pessoas com baixo capital para investir. Além disso, por ser de porte pequeno, o empreendedor não necessariamente precisa ter grande experiência no cargo.

 

Investir em franquias se torna uma opção em regiões fora do eixo sul-sudeste

Outro ponto que tende a aumentar, é o número de franquias fora do eixo sul-sudeste. Em 2015, por exemplo, houve crescimento de redes de franquias nas outras regiões do Brasil, segundo dados da ABF. Neste mesmo ano, o Brasil ocupava o 4º lugar no ranking de países com mais franquias do mundo.

Outro ponto importante que também é tendência são as questões sobre sustentabilidade, que vêm sendo amplamente discutidas nesse modelo de negócio.

 

Sustentabilidade

Um dos assuntos que vem gerando mais discussão no século XXI é a questão da sustentabilidade. Cada vez mais tem-se falado da importância desse tema e de empregar em nosso dia a dia soluções mais sustentáveis. As empresas, claro, não ficariam de fora dessa, por isso passaram a implementar a sustentabilidade nas operações do modelo de franquias.

Em 2005, a ABF criou a Afras (Associação Franquia Sustentável), com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade por meio da sustentabilidade implementada nas empresas do sistema de franquias.

Além disso, o fator sustentabilidade tem criado uma certa competitividade entre as marcas, afinal, ter uma gestão sustentável é fundamental para a melhoria da imagem e fidelização de cada vez mais clientes.

Com essa discussão em alta nos dias atuais, muitos clientes optam pelo produto sustentável, ainda que pague mais caro, do que o produto barato, mas sem consciência ecológica.
Além disso, essas práticas facilitam novas oportunidades de negócio e atendem as exigências legais.

Um estudo da Universidade Havard apontou que uma empresa sustentável lucra 33 vezes mais que uma empresa não sustentável. Esse resultado é explicado, pois uma franquia sustentável tende a fazer reciclagem e reutilizar material, gerando assim economia.

Outro ponto importante abordado, é que a ‘economia verde’ está em pleno desenvolvimento no Brasil, principalmente nos anos de 2020 e 2021. Um estudo organizado pela WRI Brasil, apontou que essa economia pode gerar R$2,8 trilhões de reais ao país.

Para ser uma franquia sustentável é necessário estar atento ao tripé: Social, Ambiental e Econômico.

 

Linhas de financiamento para abertura de franquia

Tanto no Brasil quanto no mundo, as franquias movimentam bastante dinheiro. Nos últimos anos, o modelo apresentou um consistente crescimento em números de franquias abertas e, com isso, mais dinheiro sendo movimentado.

Por essa razão, os bancos criaram diversas opções de investimento e financiamento para facilitar o investimento em franquias. É possível inclusive encontrar linhas próprias de crédito para esse modelo de negócio.

Um exemplo, são as linhas de crédito oferecidas para a compra de estoques e maquinários para a implementação e modernização da sua rede de franquia. Além disso, a ABF também possui parcerias com instituições financeiras para facilitar a vida dos franqueados.

Mas é recomendável que ao abrir a primeira franquia se tenha um capital próprio para investimento. Quando o negócio começar a render lucros e o empresário já tiver grande experiência, aí sim é possível investir nessas linhas de crédito com segurança.

 

Investir em franquias ou em outro investimento: onde devo aplicar?

Segundo uma pesquisa realizada pelo SEBRAE, boa parte dos brasileiros possuem o sonho de empreender, entretanto, essa realização pode ter algumas dificuldades no caminho. A franquia é uma ótima opção para quem deseja empreender, mesmo que com pouco dinheiro, afinal, já explicamos acima que existem modelos de negócio baratos e acessíveis.

Além disso, quem decide abrir uma franquia, na maioria das vezes, já assume um negócio consolidado e se livra do problema que é abrir um empreendimento do zero.

Entretanto, apesar do brasileiro ter o desejo de empreender, algumas inseguranças acabam surgindo quando falamos da questão do dinheiro para investir. Diversas dúvidas surgem, como: “Qual é o melhor modelo para investir: franquia ou a bolsa de valores?”.

Essas dúvidas e questionamentos surgem justamente pelo momento crítico em que o país vive. As incertezas políticas e econômicas, somadas aos efeitos da pandemia, levam o futuro empreendedor a refletir e ficar receoso, afinal ninguém quer perder dinheiro investindo em algo que não dará certo.

 

Principais investimentos procurados por brasileiros

No Brasil são inúmeras as opções de investimento. Se pensarmos em franquias contabilizamos mais de 3 mil marcas disponíveis. Já quando falamos de aplicações financeiras temos como opção a renda fixa, tesouro direto, bolsa de valores, dentre outras tantas.

Antes de tomar qualquer decisão é necessário avaliar, não somente a modalidade desejada, mas também definir em qual perfil o investidor se encaixa melhor.

Se o desejo é empreender, possui tempo para se dedicar a gestão de uma empresa e está disposto a trabalhar com franquias, o modelo de franchising pode ser uma boa. Agora se não possui tempo e deseja trabalhar com outro nicho, talvez as aplicações funcionem melhor, porém, com maiores riscos.

 

Riscos

Todas as opções apresentadas acima possuem riscos. A maioria deles ligados a retorno financeiro.

Suponhamos que o investidor tenha feito a autoanálise e decidiu que a franquia era o ideal para seu estilo de vida. Antes de fechar o negócio é essencial levar em consideração que os lucros não virão como em um passe de mágica.

Além disso, é preciso entender sobre gestão, afinal, apenas empregar o dinheiro não fará com que ele renda no final do mês. É preciso saber administrar e entender como funciona o mercado de franquias, pois um negócio precisa de pessoas capacitadas para uma boa gestão.

Por outro lado, se o investidor avaliar que outros tipos de investimentos são mais favoráveis a ele, é preciso saber em que aplicação está depositando seu dinheiro e quanto ela renderá. Investimentos que parecem ser mais rentáveis, como por exemplo, a bolsa de valores, os riscos são maiores.

Em algumas modalidades de investimento no mercado de capitais, no Brasil, a BM&F e Bovespa (B3), como operações de day trade, mais de 90% dos investidores perdem todo o dinheiro investido em questão de semanas ou em poucas horas.

 

Bolsa de valores

Ao aprofundarmos nossa discussão sobre investimento na bolsa de valores, ou como é conhecida a brasileira B3, vemos que esse modelo de investimento pode ser muito atrativo. Ela pode realmente ser uma boa opção, principalmente nos momentos de crise e turbulência, momento esse que surgem as oportunidades mais rentáveis para se investir.

Um exemplo desse potencial aconteceu no início da pandemia de Covid-19, num dos momentos mais turbulentos da história do país, o índice Ibovespa apontou queda de 47%. Entretanto, não demorou muito para conquistar novamente a confiança dos investidores e apresentar crescimento de 166%, chegando a 105 mil pontos apenas três meses após a queda. Mas a vantagem depende de como você está posicionado, se na época, por exemplo, você estivesse ‘comprado’, teria amargado uma perda repentina de quase a metade do seu investimento.

Portanto, o indicado é que esse tipo de aplicação seja feito por pessoas que tenham muita familiaridade com investimentos, e estes, variáveis ou diversificados, para maior segurança do investidor.

 

Perfil do Investidor em Franquias

Embora não seja absolutamente necessário ser um investidor ou empresário experiente, muito menos possuir um diploma universitário, é esperado que pessoas interessadas em investir em um modelo de franquias tenha o mínimo de capacidade de gerenciar um negócio, isto é, que tenha habilidade de organização, sensibilidade com pessoas para que trate seus funcionários e clientes com respeito, vontade de aprender a como tornar seu negócio lucrativo e ter espírito colaborativo para uma boa relação com a empresa franqueadora.

Caso você se interesse em investir em uma franquia de açaí e sinta que tem o perfil para se tornar um franqueado de sucesso, cadastre-se agora para conversar com um de nossos consultores de expansão. A Maria Açaí está oferecendo condições especiais para novos franqueados. Clique aqui para se cadastrar.

 

Como investir em franquias?

Investir em franquias é uma decisão estratégica que, embora pareça simples, requer uma análise cuidadosa e um planejamento detalhado. Antes de embarcar nessa jornada, é fundamental conduzir uma pesquisa de mercado minuciosa, um passo crucial que pode determinar o sucesso do investimento em franquias.

O Portal Sua Franquia, uma referência no universo das franquias no Brasil, compilou os 10 passos essenciais para se tornar um franqueado de sucesso (Veja o conteúdo aqui). Abordando pontos cruciais como autoanálise, perfil do negócio, escolha da franqueadora, avaliação da capacidade de investimento, análise da COF (Circular de Oferta de Franquia), análise de concorrentes, seleção do ponto comercial, entre outros, o portal oferece um guia abrangente para quem deseja ingressar no mundo das franquias.

Contudo, quais são os aspectos realmente relevantes na hora de investir em franquias? Para responder a essa pergunta, buscamos insights valiosos dos especialistas do setor.

O cenário atual para investir em franquias

Conforme dados da ABF – Associação Brasileira de Franchising, o setor manteve-se aquecido em 2020, mesmo diante da pandemia, registrando um faturamento superior a R$167 bilhões. Esse resultado positivo em um ano atípico destaca a solidez do setor de franchising e oferece segurança aos empreendedores, tornando o investimento em franquias uma escolha atraente e confiável.

O primeiro passo para o investir em franquias

Segundo a ABF, dar o primeiro passo rumo ao investimento em franquias requer um estudo aprofundado do setor e a coleta de informações abrangentes sobre as opções disponíveis. Uma vez definido o setor de interesse, é crucial atentar-se aos detalhes.

Avalie cuidadosamente sua capacidade de investimento, elabore planos estratégicos, pesquise minuciosamente, estude a COF (O que é COF? Descubra aqui.), analise a concorrência, identifique possíveis locais para a instalação da franquia e, acima de tudo, dialogue com empreendedores já franqueados.

Em resumo, explore todas as possibilidades. Tire dúvidas, apaixone-se pelo negócio que escolher. Afinal, ao assinar o contrato e se tornar um franqueado, esse negócio passa a ser seu.

Entendendo o papel do franqueado para alcançar o sucesso ao investir em franquias

Compreender o papel como franqueado é vital para o sucesso do empreendimento. É essencial lembrar que a franqueadora já testou e aprovou o modelo de negócio. Portanto, utilize-se dessa vantagem, aprenda com a expertise já estabelecida e alinhe-se aos padrões de sucesso que a franqueadora oferece.

Investir em franquias é mais do que um negócio; é uma jornada que exige dedicação, pesquisa e paixão pelo empreendimento. Ao seguir passos cuidadosos e alinhar-se com uma franqueadora sólida, como aquela oferecida pelo Portal Sua Franquia, você estará no caminho certo para o sucesso no dinâmico universo das franquias.

 

Você pode gostar:

Franquia de Açaí é um bom investimento? Segmento cresceu 200% nos últimos anos no Brasil;

Guia de Investimentos: Bolsa de Valores, Produtos Bancários, Negócio Próprio ou Franchising?

Franquia de sorvete ou franquia de açaí? Eis a Questão.;

Açaí, a Pérola Negra da Amazônia.

 

 

Baixe grátis:

 

[wpforms id=”5581″ title=”true” description=”true”]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *