minha-voz-faz-historia

Dia da Mulher – Minha voz faz história!

O Dia Internacional da Mulher está chegando, mas você sabe qual o real propósito dessa data? Ao contrário do que muitos pensam, o Dia da Mulher não está ligado à feminilidade ou a “receber flores” como presente. Ele foi instaurado pela Organização das Nações Unidas como uma forma de relembrar e valorizar as lutas históricas das mulheres pela igualdade salarial e contra o machismo e a violência.  

A história por trás da data 

A escolha do dia 8 de março está ligada à luta das mulheres no movimento operário. Desde o final do século 19, pouco tempo depois da Revolução Industrial que fez com que as mulheres entrassem para mercado de trabalho, organizações femininas lideraram diversos protestos em busca de melhores condições de trabalho nas fábricas dos Estados Unidos e da Europa. Nessa época, a jornada era de 15 horas por dia, seis dias por semana – inclusive domingos –, e os salários eram extremamente baixos.  

Em 1911, mais de um milhão de pessoas (incluindo homens) da Áustria, Dinamarca, Alemanha e Suíça participaram de comícios no mês de março que pautavam condições mais dignas de trabalho para as mulheres, assim como o direito ao voto e a ocupação de cargos públicos. O movimento ganhou ainda mais força após a tragédia de 5 de março em uma fábrica da Triangle Shirtwaist, em Nova York, onde 125 mulheres morreram em um incêndio, mostrando as péssimas condições a que as trabalhadoras eram submetidas. 

Nos anos seguintes, diversos protestos de relevância histórica continuaram acontecendo ao redor do mundo, o que fortaleceu a luta das operárias e sufragistas. Em 1917, o dia 8 de março foi escolhido como Dia Internacional da Mulher para honrar as conquistas femininas e apoiar o combate à violência contra a mulher. 

 

Saiba mais sobre a luta das mulheres 

Separei alguns filmes e livros que retratam a luta das mulheres ao longo da história para que você saiba mais sobre o assunto: 

01 – As Sufragistas, 2015 

Esse filme é um ótimo retrato do movimento sufragista inglês. Ele conta a história de Maud Watts, interpretada por Carey Mulligan, uma mulher inglesa sem formação política que passa a liderar as manifestações sobre o direito ao voto feminino. Para isso, ela enfrenta a pressão da polícia e de seus familiares, aceitando sacrifícios em busca da igualdade de direitos. 

02 – Mulheres, raça e classe, 1981 

Considerada a obra mais importante de Angela Davis, Mulheres, raça e classe é um livro que retrata o panorama histórico e crítico das relações entre a luta anticapitalista, a luta feminista, a luta antirracista e a luta antiescravagista, passando pelos dilemas contemporâneos da mulher. O livro é considerado um clássico sobre a interseccionalidade de gênero, raça e classe e é uma leitura obrigatória a todos os interessados nessas discussões. 

03 – Sejamos todos feministas, 2014 

Neste livro a renomada autora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie conta parte de sua experiência pessoal para mostrar que ainda falta muito até que a igualdade de gênero seja alcançada na sociedade. A obra é uma adaptação do discurso feito por Chimamanda no TEDx Euston, que conta com mais de 1,5 milhão de visualizações e foi musicado pela cantora Beyoncé.  

04- Radioactive 

O filme fala sobre Marie Curie, a “mãe” da radiação e mostra sobre as dificuldades da sua trajetória como uma das mais cientistas importantes da história.  

Curie tem uma das histórias mais inspiradoras da ciência, sendo a primeira mulher a ganhar o prêmio Nobel na categoria de Física em 1903. 

 

A importância da data vai além de uma simples comemoração. Ela nos relembra o caminho já traçado por mulheres fortes, e nos empodera a seguir ainda mais adiante em busca dos nossos direitos. 

E aí, você já sabia sobre o real significado do dia 8 de março? Conta aqui pra mim nos comentários!  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *